25 de ago de 2009

PLANO DE AULA _Leitura e Interpretação

PRATICANDO
Professora: Marilene Zacheo Zanon
Estabelecimento: Escola Estadual Carlos Irigaray Filho
Município: Alto Taquari/MT
Disciplina: Língua Portuguesa
Serie: 1º A – E M – (EJA)
Tema: A Expansão da Pobreza nas Cidades
Duração das atividades: 04 aulas
Objetivo
O objetivo desta atividade é oportunizar aos estudantes a consultar outros textos interdisciplinares que retrate a desigualdade social e a pobreza no Brasil, e tenham suporte para uma boa produção textual. É necessário que depois das consultas realizadas pelos alunos eles vejam também as características de uma boa redação
e seja instigado a sintetizá-la e em seguida redigir seu próprio texto.
Específicos:
• Leitura e compreensão de texto;
• Interpretação de texto;
• Produção de texto.
• Habilidades básicas de leitura;
• Capacidade de redigir;
Estratégias e recursos da aula
- lousa, giz, apagador, caderno, lápis, borracha;
- aula interativa com uso da mídia vídeo;
- utilização do laboratório de informática;
Poema: O Bicho
Vi ontem um bicho
Na imundície do pátio
Catando comida entre os detritos.
Quando achava alguma coisa,
Não examinava nem cheirava:
Engolia com voracidade.
O bicho não era um cão,
Não era um gato,
Não era um rato.
O bicho, meu Deus, era um homem.
(Manuel Bandeira)
A avaliação se dará de forma coletiva em todos os momentos em que os alunos estiverem participando das discussões propostas e individualmente por meio da produção das atividades escritas ou quando solicitada à exposição individual de posicionamento:
Insuficiente:
Deixou de participar de alguma das atividades propostas, seja ela individual ou em grupo.
Regular:
Cumpriu as atividades propostas, porém com ressalvas, como por exemplo, atraso para entregar, falta de envolvimento nas atividades coletivas.
Satisfatória:
Cumpriu todas as atividades propostas, contribuindo nas atividades em grupo e participando ativamente nas atividades coletivas, expondo seus posicionamentos e sugestões.
Mais que satisfatória:
Além dos itens apresentados na categoria satisfatória, neste caso a postura do estudante é de fazer “algo mais”. Exemplo: no período disponível no laboratório de informática, buscar mais informações que tratem da desigualdade social/pobreza no Brasil.